sexta-feira, 25 de julho de 2008

Personalidades Negras Catarinenses

Personalidade negra é o novo quadro semanal do afromemorias. Começamos apresentando o intelectual Ildefonso Juvenal da Silva, nascido em Florianópolis em 10 de abril de 1894, formou-se em Farmácia pelo, já extinto, Instituto Politécnico de Santa Catarina em 1924. Membro da Força Pública (atual Polícia Militar) chegou patente de Major. Aos 71 anos veio a falecer, em 09 de março de 1965. Sua extensa produção literária ainda aguarda maior valorização e reconhecimento por parte de governantes e estudiosos. Para os estudantes de ensino fundamental e médio fica aqui uma ótima dica de estudo sobre o passado da população negra em Florianópolis (para saber mais leia o livro: Negras pretensões). Aos turistas que visitam o litoral catarinense não deixem de conhecer os feitos desta personalidade histórica.


Abaixo algumas de suas principais contribuições:

Livros publicados:
Contos Singelos. Florianópolis: Ed. do autor, 1914.
Páginas Simples. Florianópolis: Tipografia do povo, 1916.
Florianópolis. Florianópolis: Ed. do autor, 1916.
Questão de limites: Paraná e Santa Catarina. Florianópolis, Ed. do autor, 1916.
Painéis. Florianópolis: ed. A Phenix, 1918.
Relevo. Florianópolis: Livraria Cisne, 1919.
Nestor Vitor e Cruz e Souza. Florianópolis: Ed. do autor, 1923.
Páginas Singelas. Florianópolis: Folha Nova, 1929.
Força Pública do Estado de Santa Catarina (1835-1935). Florianópolis: edição comemorativa de centenário da Força Pública, 1934.
Conferência sobre Higiene. Florianópolis: ed. Oficial, 1935.
Contos de Natal. Florianópolis: ed. do autor, 1939.
Teatro: obras completas. Florianópolis: ed. do autor, 1942.
Laguna Engrandecedora da História Catarinense. Florianópolis: ed. do autor, 1944.
Ensinado a Ensinar Errado. Florianópolis: ed. do autor 1946.
Lages e o seu desenvolvimento cultural: palestra realizada no salão nobre do Instituto de educação de Lajes. Florianópolis: ed. autor, fevereiro de 1947.
Eduardo Dias: o mágico do pincel. Florianópolis: ed. do autor, 1948.
Contos de Natal: revisado e ampliado. Florianópolis: ed. do autor 1952.

Outras atividades:
Compõe a Associação dos Homens de Cor, promove atividade cívico-literária sobre o 13 de maio, em 1915;
Editor do jornal literário Folha Rosea, no ano de 1915;
Em 1918, auxilia na alfabetização dos praças na Força Pública, exercendo patente de Sargento Ajudante na Escola Regimental Marechal Guilherme;
Fundador do Centro Cívico Recreativo José Boiteux, em 1920;
Professor da Escola Noturna Cruz e Souza (Centro Cívico e Recreativo José Boiteux), em 1920;
Ingressa no Instituto Politécnico Farmacêutico de Florianópolis, em 1921;

No ano de 1923, é nomeado 2º Tenente da corporação (Força Publica);
É um dos fundadores do Centro Catarinense de Letras, em 1925;
Em 1926, é posto a disposição do comando geral da Força Pública, para ficar responsável pela farmácia geral da corporação;
Sócio efetivo dos Instituto de História e Geografia de Santa Catarina, em 1941;
Sócio efetivo do Instituto de História e Geografia de Santos (SP). Membro correspondente da academia Rio–Grandense de letras e do Centro de Letras do Paraná (s/d);
Em 1948, compôs a subcomissão de Folclore do Estado de Santa Catarina;
Redator de diversos jornais da capital;
Diretor da Biblioteca Municipal de Florianópolis.

Um comentário:

michele disse...

O conteúdo de "Negras Pretensões" nos mostra de maneira verdadeira a participação da população negra desde sempre.Não só de História do Brasil como a escravidão, nasce nossa história de raça.E sim com pessoas que lutam por dignidade desde o início,mais por preconceitos sendo eles raciais não destacando suas verdadeiras faces! Que muitas pessoas possam chegar onde o nosso Autor Catarinense chegou ,podendo mudar um pouco mais sobre o tabu de nossa origem com mais conteúdo e melhor intendimento sobre o preconceito ainda existente aqui no Brasil.